quinta-feira, 20 de junho de 2013

Capítulo do Dia - 20/06/2013 - Lucas 12

Avisos e encorajamentos

1 Nesse meio tempo, tendo-se juntado uma multidão de milhares de pessoas, ao ponto de atropelarem umas às outras, Jesus começou a falar primeiramente aos seus discípulos, dizendo: "Tenham cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.
2 Não há nada escondido que não venha a ser descoberto, ou oculto que não venha a ser conhecido.
3 O que vocês disseram nas trevas será ouvido à luz do dia, e o que vocês sussurraram aos ouvidos dentro de casa, será proclamado dos telhados.
4 "Eu digo a vocês, meus amigos: Não tenham medo dos que matam o corpo e depois nada mais podem fazer.
5 Mas eu mostrarei a quem vocês devem temer: temam àquele que, depois de matar o corpo, tem poder para lançar no inferno. Sim, eu digo a vocês, a esse vocês devem temer.
6 Não se vendem cinco pardais por duas moedinhas? Contudo, nenhum deles é esquecido por Deus.
7 Até os cabelos da cabeça de vocês estão todos contados. Não tenham medo; vocês valem mais do que muitos pardais!
8 "Eu digo a vocês: Quem me confessar diante dos homens, também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus.
9 Mas aquele que me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus.
10 Todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem será perdoado, mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado.
11 "Quando vocês forem levados às sinagogas e diante dos governantes e das autoridades, não se preocupem com a forma pela qual se defenderão, ou com o que dirão,
12 pois naquela hora o Espírito Santo ensinará o que deverão dizer".

A ilustração do rico homem

13 Alguém da multidão lhe disse: "Mestre, dize a meu irmão que divida a herança comigo".
14 Respondeu Jesus: "Homem, quem me designou juiz ou árbitro entre vocês?"
15 Então lhes disse: "Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens".
16 Então lhes contou esta parábola: "A terra de certo homem rico produziu muito.
17 Ele pensou consigo mesmo: 'O que vou fazer? Não tenho onde armazenar minha colheita'.
18 "Então disse: 'Já sei o que vou fazer. Vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores, e ali guardarei toda a minha safra e todos os meus bens.
19 E direi a mim mesmo: Você tem grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e alegre-se'.
20 "Contudo, Deus lhe disse: 'Insensato! Esta mesma noite a sua vida será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou?'
21 "Assim acontece com quem guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus".

Não se preocupem

22 Dirigindo-se aos seus discípulos, Jesus acrescentou: "Portanto eu digo a vocês: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir.
23 A vida é mais importante do que a comida, e o corpo, mais do que as roupas.
24 Observem os corvos: não semeiam nem colhem, não têm armazéns nem celeiros; contudo, Deus os alimenta. E vocês têm muito mais valor do que as aves!
25 Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?
26 Visto que vocês não podem sequer fazer uma coisa tão pequena, por que se preocupar com o restante?
27 "Observem como crescem os lírios. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu digo a vocês que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles.
28 Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, quanto mais vestirá vocês, homens de pequena fé!
29 Não busquem ansiosamente o que comer ou beber; não se preocupem com isso.
30 Pois o mundo pagão é que corre atrás dessas coisas; mas o Pai sabe que vocês precisam delas.
31 Busquem, pois, o Reino de Deus, e essas coisas serão acrescentadas a vocês.
32 "Não tenham medo, pequeno rebanho, pois foi do agrado do Pai dar o Reino a vocês.
33 Vendam o que têm e deem esmolas. Façam para vocês bolsas que não se gastem com o tempo, um tesouro nos céus que não se acabe, onde ladrão algum chega perto e nenhuma traça destrói.
34 Pois, onde estiver o seu tesouro, ali também estará o seu coração.

Sejam vigilantes

35 "Estejam prontos para servir e conservem acesas as suas candeias,
36 como aqueles que esperam seu senhor voltar de um banquete de casamento; para que, quando ele chegar e bater, possam abrir-lhe a porta imediatamente.
37 Felizes os servos cujo senhor os encontrar vigiando, quando voltar. Eu afirmo que ele se vestirá para servir, fará que se reclinem à mesa, e virá servi-los.
38 Mesmo que ele chegue de noite ou de madrugada, felizes os servos que o senhor encontrar preparados.
39 Entendam, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que hora viria o ladrão, não permitiria que a sua casa fosse arrombada.
40 Estejam também vocês preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que não o esperam".
41 Pedro perguntou: "Senhor, estás contando esta parábola para nós ou para todos?"
42 O Senhor respondeu: "Quem é, pois, o administrador fiel e sensato, a quem seu senhor encarrega dos seus servos, para lhes dar sua porção de alimento no tempo devido?
43 Feliz o servo a quem o seu senhor encontrar fazendo assim quando voltar.
44 Garanto que ele o encarregará de todos os seus bens.
45 Mas suponham que esse servo diga a si mesmo: 'Meu senhor se demora a voltar', e então comece a bater nos servos e nas servas, a comer, a beber e a embriagar-se.
46 O senhor daquele servo virá num dia em que ele não o espera e numa hora que não sabe e o punirá severamente e lhe dará um lugar com os infiéis.
47 "Aquele servo que conhece a vontade de seu senhor e não prepara o que ele deseja, nem o realiza, receberá muitos açoites.
48 Mas aquele que não a conhece e pratica coisas merecedoras de castigo, receberá poucos açoites. A quem muito foi dado, muito será exigido; e a quem muito foi confiado, muito mais será pedido.

Não paz mas divisões

49 "Vim trazer fogo à terra, e como gostaria que já estivesse aceso!
50 Mas tenho que passar por um batismo, e como estou angustiado até que ele se realize!
51 Vocês pensam que vim trazer paz à terra? Não, eu digo a vocês. Ao contrário, vim trazer divisão!
52 De agora em diante haverá cinco numa família divididos uns contra os outros: três contra dois e dois contra três.
53 Estarão divididos pai contra filho e filho contra pai, mãe contra filha e filha contra mãe, sogra contra nora e nora contra sogra".

Os sinais dos tempos

54 Dizia ele à multidão: "Quando vocês veem uma nuvem se levantando no ocidente, logo dizem: 'Vai chover', e assim acontece.
55 E quando sopra o vento sul, vocês dizem: 'Vai fazer calor', e assim ocorre.
56 Hipócritas! Vocês sabem interpretar o aspecto da terra e do céu. Como não sabem interpretar o tempo presente?
57 "Por que vocês não julgam por si mesmos o que é justo?
58 Quando algum de vocês estiver indo com seu adversário para o magistrado, faça tudo para se reconciliar com ele no caminho; para que ele não o arraste ao juiz, o juiz o entregue ao oficial de justiça, e o oficial de justiça o jogue na prisão.
59 Eu digo que você não sairá de lá enquanto não pagar o último centavo".

Capitulo do Dia - 20/06/2013 - Levítico 20

Penas para diversos crimes

1 Disse o Senhor a Moisés:
2 "Diga aos israelitas: Qualquer israelita ou estrangeiro residente em Israel que entregar um dos seus filhos a Moloque, terá que ser executado. O povo da terra o apedrejará.
3 Voltarei o meu rosto contra ele e o eliminarei do meio do seu po­vo; pois deu os seus filhos a Moloque, contami­nando assim o meu santuário e profanando o meu santo nome.
4 Se o povo deliberadamente fechar os olhos quando alguém entregar um dos seus filhos a Moloque e deixar de executar o agressor,
5 voltarei o meu rosto contra aque­le homem e contra o seu clã e eliminarei do meio do seu povo tanto ele quanto todos os que o seguem, prostituindo-se com Moloque.
6 "Voltarei o meu rosto contra quem consulta espíritos e contra quem procura médiuns para segui-los, prostituindo-se com eles. Eu o eliminarei do meio do seu povo.
7 "Consagrem-se, porém, e sejam santos, porque eu sou o Senhor, o Deus de vocês.
8 Obedeçam aos meus decretos e pratiquem-nos. Eu sou o Senhor que os santifica.
9 "Se alguém amaldiçoar seu pai ou sua mãe, terá que ser executado. Por ter amaldiçoa­do o seu pai ou a sua mãe, merece a morte.
10 "Se um homem cometer adultério com a mulher de outro homem, com a mulher do seu próximo, tanto o adúltero quanto a adúltera terão que ser executados.
11 "Se um homem se deitar com a mulher do seu pai, desonrou seu pai. Tanto o homem quanto a mulher terão que ser executados, pois merecem a morte.
12 "Se um homem se deitar com a sua nora, ambos terão que ser executados. O que fizeram é depravação; merecem a morte.
13 "Se um homem se deitar com outro homem como quem se deita com uma mulher, ambos praticaram um ato repugnante. Terão que ser executados, pois merecem a mor­te.
14 "Se um homem tomar uma mulher e a mãe dela, comete perversidade. Tanto ele quan­to elas serão queimados com fogo, para que não haja perversidade entre vocês.
15 "Se um homem tiver relações sexuais com um animal, terá que ser executado, e vocês matarão também o animal.
16 "Se uma mulher se aproximar de al­gum animal para ajuntar-se com ele, vocês ma­tarão a mulher e o animal. Ambos terão que ser executados, pois merecem a mor­te.
17 "Se um homem tomar por mulher sua irmã, filha de seu pai ou de sua mãe, e se envol­ver sexualmente com ela, pratica um ato vergo­nhoso. Serão eliminados à vista de todo o povo. Esse homem desonrou sua irmã e sofrerá as consequências da sua iniquidade.
18 "Se um homem se deitar com uma mulher durante a menstruação e com ela se envolver sexualmente, ambos serão eliminados do meio do seu povo, pois expuseram o sangra­mento dela.
19 "Não se envolva sexualmente com a irmã de sua mãe nem com a irmã de seu pai; pois quem se envolver sexualmente com uma parenta próxima sofrerá as consequências da sua iniquidade.
20 "Se um homem se deitar com a mulher do seu tio, desonrou seu tio. Eles sofrerão as consequências do seu pecado; morrerão sem filhos.
21 "Se um homem tomar por mulher a mulher do seu irmão, comete impureza; deson­rou seu irmão. Ficarão sem filhos.
22 "Obedeçam a todos os meus decretos e leis e pratiquem-nos, para que a terra para onde os estou levando para nela habitar não os vomite.
23 Não sigam os costumes dos povos que vou expulsar de diante de vocês. Por terem feito todas essas coisas, causam-me repugnância.
24 Mas a vocês prometi que herdarão a terra de­les; eu a darei a vocês como herança, terra onde há leite e mel com fartura. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês, que os separou dentre os povos.
25 "Portanto, façam separação entre ani­mais puros e impuros e entre aves puras e impu­ras. Não se contaminem com animal, ou ave, ou com qual­quer criatura que se move rente ao chão, os quais separei de vocês por serem eles impuros.
26 Vo­cês serão santos para mim, porque eu, o Senhor, sou santo e os separei dentre os povos para serem meus.
27 "Os homens ou mulheres que, entre vocês, forem médiuns ou consultarem os espíritos, terão que ser executados. Serão apedrejados, pois merecem a morte".

Capítulo do Dia - 20/06/2013 - Levítico 19

Repetição de diversas leis

1 Disse ainda o Senhor a Moisés:
2 "Diga o seguinte a toda comunidade de Israel: Sejam santos porque eu, o Senhor, o Deus de vocês, sou santo.
3 "Respeite cada um de vocês a sua mãe e o seu pai e guarde os meus sábados. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês.
4 "Não se voltem para os ídolos nem façam para vocês deuses de metal. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês.
5 "Quando vocês oferecerem um sacrifí­cio de comunhão ao Senhor, ofereçam-no de modo que seja aceito em favor de vocês.
6 Terá que ser comido no dia em que o oferecerem, ou no dia seguinte; o que sobrar até o terceiro dia será queimado.
7 Se alguma coisa for comida no terceiro dia, estará estragada e não será aceita.
8 Quem a comer sofrerá as consequências da sua iniquidade, porque profanou o que é santo ao Senhor; será eliminado do meio do seu povo.
9 "Quando fizerem a colheita da sua ter­ra, não colham até as extremidades da sua ­la­voura nem ajuntem as espigas caídas de sua colheita.
10 Não passem duas vezes pela sua vi­nha nem apanhem as uvas que tiverem caído. Deixem-nas para o necessitado e para o estran­geiro. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês.
11 "Não furtem. "Não mintam. "Não enganem uns aos outros.
12 "Não jurem falsamente pelo meu no­me, profanando assim o nome do seu Deus. Eu sou o Senhor.
13 "Não oprimam nem roubem o seu próximo. "Não retenham até a manhã do dia se­guinte o pagamento de um diarista.
14 "Não amaldiçoem o surdo nem po­nham pedra de tropeço à frente do cego, mas temam o seu Deus. Eu sou o Senhor.
15 "Não cometam injustiça num julga­mento; não favoreçam os pobres nem procurem agradar os grandes, mas julguem o seu próximo com justiça.
16 "Não espalhem calúnias no meio do seu povo. "Não se levantem contra a vida do seu próximo. Eu sou o Senhor.
17 "Não guardem ódio contra o seu irmão no coração; antes repreendam com franqueza o seu próximo para que, por causa dele, não so­fram as consequências de um pecado.
18 "Não procurem vingança nem guar­dem rancor contra alguém do seu povo, mas ame cada um o seu próximo como a si mesmo. Eu sou o Senhor.
19 "Obedeçam às minhas leis. "Não cruzem diferentes espécies de animais. "Não plantem duas espécies de semen­tes na sua lavoura. "Não usem roupas feitas com dois tipos de tecido.
20 "Se um homem deitar-se com uma escrava prometida a outro homem, mas que não tenha sido resgatada nem tenha recebido sua liberda­de, aplique-se a devida punição. Contudo não serão mortos, porquanto ela não havia sido li­bertada.
21 O homem, porém, trará ao Senhor, à entrada da Tenda do Encontro, um carneiro como oferta pela culpa.
22 Com o carneiro da oferta pela culpa, o sacerdote fará propiciação pelo ofertante perante o Senhor, pelo pecado que cometeu; assim o pecado que ele cometeu será perdoado.
23 "Quando vocês entrarem na terra e plantarem qualquer tipo de árvore frutífera, considerem proibidas as suas frutas. Durante três anos vocês as considerarão proibidas; não poderão comê-las.
24 No quarto ano todas as suas frutas serão santas; será uma oferta de louvor ao Senhor.
25 No quinto ano, porém, vocês pode­rão comer as suas frutas. Assim a sua colheita aumentará. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês.
26 "Não comam nada com sangue. "Não pratiquem adivinhação nem feiti­çaria.
27 "Não cortem o cabelo dos lados da cabeça nem aparem as pontas da barba.
28 "Não façam cortes no corpo por causa dos mortos nem tatuagens em vocês mesmos. Eu sou o Senhor.
29 "Ninguém desonre a sua filha tornando-a uma prostituta; se não, a terra se en­tregará à prostituição e se encherá de perversi­dade.
30 "Guardem os meus sábados e reveren­ciem o meu santuário. Eu sou o Senhor.
31 "Não recorram aos médiuns nem bus­quem a quem consulta espíritos, pois vocês serão contamina­dos por eles. Eu sou o Senhor, o Deus de vo­cês.
32 "Levantem-se na presença dos idosos, honrem os anciãos, temam o seu Deus. Eu sou o Senhor.
33 "Quando um estrangeiro viver na terra de vocês, não o maltratem.
34 O estrangeiro resi­dente que viver com vocês deverá ser tratado como o natural da terra. Amem-no como a si mesmos, pois vocês foram estrangeiros no Egito. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês.
35 "Não usem medidas desonestas quan­do medirem comprimento, peso ou quantidade.
36 Usem balanças de pesos honestos, tanto para cereais quanto para líquidos. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês, que os tirei da terra do Egito.
37 "Obedeçam a todos os meus decretos e a todas as minhas leis e pratiquem-nos. Eu sou o Senhor".

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Capítulo do Dia - 19/06/2013 - Lucas 11

Jesus ensina sobre oração

1 Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: "Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele".
2 Ele lhes disse: "Quando vocês orarem, digam: " Pai! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino.
3 Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano.
4 Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem. E não nos deixes cair em tentação".
5 Então lhes disse: "Suponham que um de vocês tenha um amigo e que recorra a ele à meia-noite e diga: 'Amigo, empreste-me três pães,
6 porque um amigo meu chegou de viagem, e não tenho nada para lhe oferecer'.
7 "E o que estiver dentro responda: 'Não me incomode. A porta já está fechada, e eu e meus filhos já estamos deitados. Não posso me levantar e dar a você o que me pede'.
8 Eu digo: Embora ele não se levante para dar-lhe o pão por ser seu amigo, por causa da importunação se levantará e lhe dará tudo o que precisar.
9 "Por isso digo: Peçam, e será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta será aberta.
10 Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta.
11 "Qual pai, do meio de vocês, se o filho pedir um peixe, em lugar disso lhe dará uma cobra?
12 Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião?
13 Se vocês, apesar de serem maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai que está nos céus dará o Espírito Santo a quem o pedir!"

Jesus e Satanás

14 Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo falou, e a multidão ficou admirada.
15 Mas alguns deles disseram: "É por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa demônios".
16 Outros o punham à prova, pedindo-lhe um sinal do céu.
17 Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: "Todo reino dividido contra si mesmo será arruinado, e uma casa dividida contra si mesma cairá.
18 Se Satanás está dividido contra si mesmo, como o seu reino pode subsistir? Digo isso porque vocês estão dizendo que expulso demônios por Belzebu.
19 Se eu expulso demônios por Belzebu, por quem os expulsam os filhos de vocês? Por isso, eles mesmos estarão como juízes sobre vocês.
20 Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso demônios, então chegou a vocês o Reino de Deus.
21 "Quando um homem forte, bem armado, guarda sua casa, seus bens estão seguros.
22 Mas, quando alguém mais forte o ataca e o vence, tira-lhe a armadura em que confiava e divide os despojos.
23 "Aquele que não está comigo é contra mim, e aquele que comigo não ajunta espalha.
24 "Quando um espírito imundo sai de um homem, passa por lugares áridos procurando descanso e, não o encontrando, diz: 'Voltarei para a casa de onde saí'.
25 Quando chega, encontra a casa varrida e em ordem.
26 Então vai e traz outros sete espíritos piores do que ele, e entrando passam a viver ali. E o estado final daquele homem torna-se pior do que o primeiro".
27 Enquanto Jesus dizia estas coisas, uma mulher da multidão exclamou: "Feliz é a mulher que te deu à luz e te amamentou".
28 Ele respondeu: "Antes, felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e lhe obedecem".

O sinal de Jonas

29 Aumentando a multidão, Jesus começou a dizer: "Esta é uma geração perversa. Ela pede um sinal milagroso, mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas.
30 Pois, assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, o Filho do homem também o será para esta geração.
31 A rainha do Sul se levantará no juízo com os homens desta geração e os condenará, pois ela veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão e agora está aqui quem é maior do que Salomão.
32 Os homens de Nínive se levantarão no juízo com esta geração e a condenarão; pois eles se arrependeram com a pregação de Jonas, e agora está aqui quem é maior do que Jonas.

A luz do corpo

33 "Ninguém acende uma candeia e a coloca em lugar onde fique escondida ou debaixo de uma vasilha. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, para que os que entram possam ver a luz.
34 Os olhos são a candeia do corpo. Quando os seus olhos forem bons, igualmente todo o seu corpo estará cheio de luz. Mas, quando forem maus, igualmente o seu corpo estará cheio de trevas.
35 Portanto, cuidado para que a luz que está em seu interior não sejam trevas.
36 Logo, se todo o seu corpo estiver cheio de luz, e nenhuma parte dele estiver em trevas, estará completamente iluminado, como quando a luz de uma candeia brilha sobre você".

Jesus denuncia os fariseus e os mestres da lei

37 Tendo terminado de falar, um fariseu o convidou para comer com ele. Então Jesus foi e reclinou-se à mesa;
38 mas o fariseu, notando que Jesus não se lavara cerimonialmente antes da refeição, ficou surpreso.
39 Então o Senhor lhe disse: "Vocês, fariseus, limpam o exterior do copo e do prato, mas interiormente estão cheios de ganância e de maldade.
40 Insensatos! Quem fez o exterior não fez também o interior?
41 Mas deem o que está dentro do prato como esmola e verão que tudo ficará limpo em vocês.
42 "Ai de vocês, fariseus, porque dão a Deus o dízimo da hortelã, da arruda e de toda a sorte de hortaliças, mas desprezam a justiça e o amor de Deus! Vocês deviam praticar estas coisas, sem deixar de fazer aquelas.
43 "Ai de vocês, fariseus, porque amam os lugares de honra nas sinagogas e as saudações em público!
44 "Ai de vocês, porque são como túmulos que não são vistos, por sobre os quais os homens andam sem o saber!"
45 Um dos peritos na lei lhe respondeu: "Mestre, quando dizes essas coisas, insultas também a nós".
46 "Quanto a vocês, peritos na lei", disse Jesus, "ai de vocês também!, porque sobrecarregam os homens com fardos que dificilmente eles podem carregar, e vocês mesmos não levantam nem um dedo para ajudá-los.
47 "Ai de vocês, porque edificam os túmulos dos profetas, sendo que foram os seus próprios antepassados que os mataram.
48 Assim vocês dão testemunho de que aprovam o que os seus antepassados fizeram. Eles mataram os profetas, e vocês lhes edificam os túmulos.
49 Por isso, Deus disse em sua sabedoria: 'Eu mandarei a vocês profetas e apóstolos, dos quais eles matarão alguns, e a outros perseguirão'.
50 Pelo que, esta geração será considerada responsável pelo sangue de todos os profetas, derramado desde o princípio do mundo:
51 desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o santuário. Sim, eu digo a vocês, esta geração será considerada responsável por tudo isso.
52 "Ai de vocês, peritos na lei, porque se apoderaram da chave do conhecimento. Vocês mesmos não entraram e impediram os que estavam prestes a entrar!"
53 Quando Jesus saiu dali, os fariseus e os mestres da lei começaram a opor-se fortemente a ele e a interrogá-lo com muitas perguntas,
54 esperando apanhá-lo em algo que dissesse.

Capítulo do Dia - 19/06/2013 - Levítico 18

Regras sobre relações sexuais

1 Disse o Senhor a Moisés:
2 "Diga o seguinte aos israelitas: Eu sou o Senhor, o Deus de vocês.
3 Não procedam como se proce­de no Egito, onde vocês moraram, nem como se procede na terra de Canaã, para onde os estou levando. Não sigam as suas práticas.
4 Pratiquem as minhas ordenanças, obedeçam aos meus de­cretos e sigam-nos. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês.
5 Obedeçam aos meus decretos e orde­nanças, pois o homem que os praticar viverá por eles. Eu sou o Senhor.
6 "Ninguém poderá se aproximar de uma parenta próxima para se envolver sexualmente com ela. Eu sou o Senhor.
7 "Não desonre o seu pai, envolvendo-se sexualmente com a sua mãe. Ela é sua mãe; não se envolva sexualmente com ela.
8 "Não se envolva sexualmente com a mulher do seu pai; isso desonraria seu pai.
9 "Não se envolva sexualmente com a sua irmã, filha do seu pai ou da sua mãe, tenha ela nascido na mesma casa ou em outro lugar.
10 "Não se envolva sexualmente com a filha do seu filho ou com a filha da sua filha; isso desonraria você.
11 "Não se envolva sexualmente com a filha da mulher do seu pai, gerada por seu pai; ela é sua irmã.
12 "Não se envolva sexualmente com a irmã do seu pai; ela é parenta próxima do seu pai.
13 "Não se envolva sexualmente com a irmã da sua mãe; ela é parenta próxima da sua mãe.
14 "Não desonre o irmão do seu pai aproximando-se da sua mulher para com ela se envolver sexualmente; ela é sua tia.
15 "Não se envolva sexualmente com a sua nora. Ela é mulher do seu filho; não se en­volva sexualmente com ela.
16 "Não se envolva sexualmente com a mulher do seu irmão; isso desonraria seu irmão.
17 "Não se envolva sexualmente com uma mulher e sua filha. Não se envolva sexual­mente com a filha do seu filho ou com a filha da sua filha; são parentes próximos. É perversi­dade.
18 "Não tome por mulher a irmã da sua mulher, tornando-a rival, envolvendo-se sexual­mente com ela, estando a sua mulher ainda vi­va.
19 "Não se aproxime de uma mulher para se envolver sexualmente com ela quando ela estiver na impureza da sua menstruação.
20 "Não se deite com a mulher do seu próximo, contaminando-se com ela.
21 "Não entregue os seus filhos para se­rem sacrificados a Moloque. Não profanem o nome do seu Deus. Eu sou o Senhor.
22 "Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante.
23 "Não tenha relações sexuais com um animal, contaminando-se com ele. Mulher ne­nhuma se porá diante de um animal para ajuntar-se com ele; é depravação.
24 "Não se contaminem com nenhuma dessas coisas, porque assim se contaminaram as nações que vou expulsar da presença de vocês.
25 Até a terra ficou contaminada; e eu castiguei a sua iniquidade, e a terra vomitou os seus habi­tantes.
26 Mas vocês obedecerão aos meus decre­tos e às minhas leis. Nem o natural da terra nem o estrangeiro residente entre vocês farão ne­nhuma dessas abominações,
27 pois todas estas abominações foram praticadas pelos que habita­ram essa terra antes de vocês; por isso a terra ficou contaminada.
28 E, se vocês contaminarem a terra, ela os vomitará, como vomitou os povos que ali estavam antes de vocês.
29 "Todo aquele que fizer alguma dessas abominações, aqueles que assim procederem serão eliminados do meio do seu povo.
30 Obe­deçam aos meus preceitos e não pratiquem os costumes repugnantes praticados antes de vo­cês, nem se contaminem com eles. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês".

Capitulo do dia - 19/06/2013 - Levítico 17

Proibição de comer sangue

1 O Senhor disse a Moisés:
2 "Diga a Arão e seus filhos e a todos os israe­litas o que o Senhor ordenou:
3 Qualquer israelita que sacrificar um boi, um cordei­ro ou um cabrito dentro ou fora do acampamen­to,
4 e não o trouxer à entrada da Tenda do En­contro para apresentá-lo como ofer­ta ao Senhor, diante do tabernáculo do Senhor, será considerado culpado de sangue; derramou san­gue e será eliminado do meio do seu povo.
5 Os sacrifícios, que os israelitas agora fazem em campo aberto, passarão a trazer ao Senhor, entregando-os ao sacerdote, para oferecê-los ao Senhor, à entrada da Tenda do Encontro, e os sacrificarão como ofer­tas de comunhão.
6 O sacerdote aspergirá o sangue no altar do Senhor, à entrada da Tenda do Encontro, e quei­mará a gordura como aroma agradável ao Senhor.
7 Não oferecerão mais sacrifícios aos ídolos em forma de bode, aos quais prestam culto imoral. Este é um decreto perpétuo para eles e para as suas gerações.
8 "Diga-lhes: Todo israelita ou estrangei­ro residente que oferecer holocausto ou sacrifí­cio
9 e não o trouxer à entrada da Tenda do En­contro para oferecê-lo ao Senhor será elimina­do do meio do seu povo.
10 "Todo israelita ou estrangeiro residen­te que comer sangue de qualquer animal, contra esse eu me voltarei e o eli­minarei do meio do seu povo.
11 Pois a vida da carne está no sangue, e eu o dei a vocês para fazerem propiciação por vocês mesmos no altar; é o sangue que faz propiciação pela vida.
12 Por isso digo aos israelitas: Nenhum de vocês pode­rá comer sangue; tampouco, o estrangeiro residente.
13 "Qualquer israelita ou estrangeiro resi­dente que caçar um animal ou ave que se pode comer, derramará o sangue e o cobrirá com terra,
14 porque a vida de toda carne é o seu san­gue. Por isso eu disse aos israelitas: Vocês não poderão comer o sangue de nenhum animal, porque a vida de toda carne é o seu sangue; todo aquele que o comer será eliminado.
15 "Todo aquele que, natural da terra ou estrangeiro, comer um animal encontrado morto ou despedaçado por animais selvagens, lavará suas roupas, se banhará com água e ficará impuro até a tarde; então estará puro.
16 Mas, se não lavar suas roupas nem se banhar, sofrerá as consequências da sua iniquidade".

terça-feira, 18 de junho de 2013

Capitulo do dia - 18/06/2013 - Lucas 10

Jesus envia setenta e dois discípulos

1 Depois disso o Senhor designou outros setenta e dois e os enviou dois a dois, adiante dele, a todas as cidades e lugares para onde ele estava prestes a ir.
2 E lhes disse: "A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Portanto, peçam ao Senhor da colheita que mande trabalhadores para a sua colheita.
3 Vão! Eu os estou enviando como cordeiros entre lobos.
4 Não levem bolsa, nem saco de viagem, nem sandálias; e não saúdem ninguém pelo caminho.
5 "Quando entrarem numa casa, digam primeiro: Paz a esta casa.
6 Se houver ali um homem de paz, a paz de vocês repousará sobre ele; se não, ela voltará para vocês.
7 Fiquem naquela casa e comam e bebam o que derem a vocês, pois o trabalhador merece o seu salário. Não fiquem mudando de casa em casa.
8 "Quando entrarem numa cidade e forem bem recebidos, comam o que for posto diante de vocês.
9 Curem os doentes que ali houver e digam-lhes: O Reino de Deus está próximo de vocês.
10 Mas, quando entrarem numa cidade e não forem bem recebidos, saiam por suas ruas e digam:
11 Até o pó da sua cidade, que se apegou aos nossos pés, sacudimos contra vocês. Fiquem certos disto: o Reino de Deus está próximo.
12 Eu digo: Naquele dia, haverá mais tolerância para Sodoma do que para aquela cidade.
13 "Ai de você, Corazim! Ai de você, Betsaida! Porque se os milagres que foram realizados entre vocês o fossem em Tiro e Sidom, há muito tempo elas teriam se arrependido, vestindo roupas de saco e cobrindo-se de cinzas.
14 Mas no juízo haverá menor rigor para Tiro e Sidom do que para vocês.
15 E você, Cafarnaum: será elevada até ao céu? Não; você descerá até o Hades!
16 "Aquele que dá ouvidos a vocês está me dando ouvidos; aquele que os rejeita está me rejeitando; mas aquele que me rejeita está rejeitando aquele que me enviou".
17 Os setenta e dois voltaram alegres e disseram: "Senhor, até os demônios se submetem a nós, em teu nome".
18 Ele respondeu: "Eu vi Satanás caindo do céu como relâmpago.
19 Eu dei a vocês autoridade para pisarem sobre cobras e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; nada lhes fará dano.
20 Contudo, alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos nos céus".
21 Naquela hora, Jesus, exultando no Espírito Santo, disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, pois assim foi do teu agrado.
22 "Todas as coisas me foram entregues por meu Pai. Ninguém sabe quem é o Filho, a não ser o Pai; e ninguém sabe quem é o Pai, a não ser o Filho e aqueles a quem o Filho o quiser revelar".
23 Então ele se voltou para os seus discípulos e lhes disse em particular: "Felizes são os olhos que veem o que vocês veem.
24 Pois eu digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vocês estão vendo, mas não viram; e ouvir o que vocês estão ouvindo, mas não ouviram".

O bom samaritano

25 Certa ocasião, um perito na lei levantou-se para pôr Jesus à prova e lhe perguntou: "Mestre, o que preciso fazer para herdar a vida eterna?"
26 "O que está escrito na Lei?", respondeu Jesus. "Como você a lê?"
27 Ele respondeu: " 'Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento' e 'Ame o seu próximo como a si mesmo'".
28 Disse Jesus: "Você respondeu corretamente. Faça isso e viverá".
29 Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: "E quem é o meu próximo?"
30 Em resposta, disse Jesus: "Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto.
31 Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o homem, passou pelo outro lado.
32 E assim também um levita; quando chegou ao lugar e o viu, passou pelo outro lado.
33 Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele.
34 Aproximou-se, enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele.
35 No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e lhe disse: 'Cuide dele. Quando eu voltar, pagarei todas as despesas que você tiver'.
36 "Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?"
37 "Aquele que teve misericórdia dele", respondeu o perito na lei. Jesus lhe disse: "Vá e faça o mesmo".

Em casa da Marta e Maria

38 Caminhando Jesus e os seus discípulos, chegaram a um povoado onde certa mulher chamada Marta o recebeu em sua casa.
39 Maria, sua irmã, ficou sentada aos pés do Senhor, ouvindo a sua palavra.
40 Marta, porém, estava ocupada com muito serviço. E, aproximando-se dele, perguntou: "Senhor, não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Dize-lhe que me ajude!"
41 Respondeu o Senhor: "Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas;
42 todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada".

Capítulo do dia - 18/06/2013 - Levítico 16

O dia de expiação

1 O Senhor falou com Moisés depois que morreram os dois filhos de Arão, por have­rem se aproximado do Senhor.
2 O Senhor disse a Moisés: "Diga a seu irmão Arão que não entre a toda hora no Lugar Santíssimo, atrás do véu, diante da tampa da arca, para que não mor­ra; pois aparecerei na nuvem, acima da tampa.
3 "Arão deverá entrar no Lugar Santo com um novilho como oferta pelo pecado e com um carneiro como holocausto.
4 Ele vestirá a túnica sagrada de linho, com calções também de linho por baixo; ­porá o cinto de linho na cintura e também o turbante de linho. Essas vestes são sagradas; por isso ele se banhará com água antes de vesti-las.
5 Receberá da comunida­de de Israel dois bodes como oferta pelo pecado e um carneiro como holocausto.
6 "Arão sacrificará o novilho como oferta pelo seu próprio pecado, para fazer propiciação por si mesmo e por sua família.
7 Depois pegará os dois bodes e os apresentará ao Senhor, à entrada da Tenda do Encontro.
8 E lançará sortes quan­to aos dois bodes: uma para o Senhor e a outra para Azazel.
9 Arão trará o bode cuja sorte caiu para o Senhor e o sacrificará como oferta pelo pecado.
10 Mas o bode sobre o qual caiu a sorte para Azazel será apresentado vivo ao Senhor para fazer propiciação e será enviado para Azazel no deserto.
11 "Arão trará o novilho como oferta por seu próprio pecado para fazer propiciação por si mesmo e por sua família, e ele o oferecerá co­mo sacrifício pelo seu próprio pecado.
12 Pegará o incensário cheio de brasas do altar que está perante o Senhor e dois punhados de incenso aromático em pó e os levará para trás do véu.
13 Porá o incenso no fogo perante o Senhor, e a fumaça do incenso cobrirá a tampa que está acima das tábuas da aliança, a fim de que não morra.
14 Pegará um pouco do sangue do novilho e com o dedo o aspergirá sobre a parte da frente da tampa; depois, com o dedo aspergirá o san­gue sete vezes, diante da tampa.
15 "Então sacrificará o bode da oferta pelo pecado, em favor do povo, e trará o sangue para trás do véu; fará com o sangue o que fez com o sangue do novilho; ele o aspergirá sobre a tampa e na frente dela.
16 Assim fará propiciação pelo Lugar Santíssimo por causa das impu­rezas e das rebeliões dos israelitas, quaisquer que tenham sido os seus pecados. Fará o mesmo em favor da Tenda do Encontro, que está entre eles no meio das suas impurezas.
17 Ninguém estará na Tenda do Encontro quando Arão entrar para fazer propiciação no Lugar Santíssimo, até a saída dele, depois que fizer propiciação por si mesmo, por sua família e por toda a as­sembleia de Israel.
18 "Depois irá ao altar que está perante o Senhor e pelo altar fará propiciação. Pegará um pouco do sangue do novilho e do sangue do bode e o porá em todas as pontas do altar.
19 Com o dedo aspergirá o sangue sete vezes sobre o altar para purificá-lo e santificá-lo das impurezas dos israelitas.
20 "Quando Arão terminar de fazer propi­ciação pelo Lugar Santíssimo, pela Tenda do Encontro e pelo altar, trará para a frente o bode vivo.
21 Então colocará as duas mãos sobre a cabeça do bode vivo e confessará todas as iniquidades e rebeliões dos israelitas, todos os seus pecados, e os porá sobre a cabeça do bode. Em seguida, enviará o bode para o deserto aos cuidados de um homem designado para isso.
22 O bode levará consigo todas as iniquidades deles para um lugar solitário. E o homem solta­rá o bode no deserto.
23 "Depois Arão entrará na Tenda do Encontro, tirará as vestes de linho que usou para entrar no Santo dos Santos e as deixará ali.
24 Ele se banhará com água num lugar sagrado e vestirá as suas próprias roupas. Então sairá e sacrificará o holocausto por si mesmo e o holo­causto pelo povo, para fazer propiciação por si mesmo e pelo povo.
25 Também queimará sobre o altar a gordura da oferta pelo pecado.
26 "Aquele que soltar o bode para Azazel lavará as suas roupas, se banhará com água e depois poderá entrar no acampamento.
27 O no­vilho e o bode da oferta pelo pecado, cujo san­gue foi trazido ao Lugar Santíssimo para fazer propiciação, serão levados para fora do acampa­mento; o couro, a carne e o excremento deles serão quei­mados com fogo.
28 Aquele que os queimar lavará as suas roupas e se banhará com água; depois poderá entrar no acampamento.
29 "Este é um decreto perpétuo para vo­cês: No décimo dia do sétimo mês vocês se humilharão e não poderão realizar trabalho algum, nem o natural da terra, nem o estrangeiro residente.
30 Porquanto nesse dia se fará propiciação por vocês, para purificá-los. Então, perante o Senhor, vocês estarão puros de todos os seus pecados.
31 Este lhes será um sábado de descanso, quando vocês se humilha­rão; é um decreto perpétuo.
32 O sacerdote que for ungido e ordenado para suceder seu pai co­mo sumo sacerdote fará a propiciação. Porá as vestes sagradas de linho
33 e fará propiciação pelo Lugar Santíssimo, pela Tenda do Encontro, pelo altar, por todos os sacerdotes e por todo o povo da assembleia.
34 "Este é um decreto perpétuo para vo­cês: A propiciação será feita uma vez por ano, por todos os pecados dos israelitas". E tudo foi feito conforme o Senhor tinha ordenado a Moisés.

Capitulo do dia - 18/06/2013 - Levítico 15

Impurezas do homem

1 O Senhor disse a Moisés e a Arão:
2 "Digam o seguinte aos israelitas: Quan­do um homem tiver um fluxo que sai do corpo, o fluxo é impuro.
3 Ele ficará impuro por causa do seu fluxo, quer continue, quer fique retido.
4 "A cama em que um homem com fluxo se deitar ficará impura, e qualquer coisa em que se sentar ficará impura.
5 Quem tocar na cama dele lavará as suas roupas, se banhará com água e ficará impuro até a tarde.
6 Todo aquele que se sentar sobre qualquer coisa na qual esse homem se sentou, lavará suas roupas, se banhará com água e estará impuro até a tarde.
7 "Quem tocar no homem que tiver um fluxo lavará as suas roupas, se banhará com água e ficará impuro até a tarde.
8 "Se o homem cuspir em alguém que está puro, este lavará as suas roupas, se banha­rá com água e ficará impuro até a tarde.
9 Tudo aquilo em que o homem se sentar quando mon­tar um animal estará impuro,
10 e todo aquele que tocar em qualquer coisa que tenha estado debaixo dele ficará impuro até a tarde; quem pegar essas coisas lavará as suas roupas, se banhará com água e ficará impuro até a tarde.
11 "Quaisquer pessoas tocadas pelo homem com fluxo, sem que este tenha lavado as mãos, lavarão as suas roupas, se banharão com água e ficarão impuras até a tarde.
12 "A vasilha de barro na qual ele tocar será quebrada; se tocar numa vasilha de madei­ra, ela será lavada.
13 "Quando um homem sarar de seu flu­xo, contará sete dias para a sua purificação; lavará as suas roupas,se banhará em água cor­rente e ficará puro.
14 No oitavo dia pegará duas rolinhas ou dois pombinhos e irá perante o Senhor, à entrada da Tenda do Encontro, e os dará ao sacerdote.
15 O sacerdote os sacrificará, um como oferta pelo pecado e o outro como holocausto, e assim fará propiciação perante o Senhor em favor do homem, por causa do flu­xo.
16 "Quando de um homem sair o sêmen, banhará todo o seu corpo com água e ficará impuro até a tarde.
17 Qualquer peça de roupa ou de couro em que houver sêmen será lavada com água e ficará impura até a tarde.
18 "Quando um homem se deitar com uma mulher e lhe sair o sêmen, ambos terão que se banhar com água e estarão impuros até a tarde.

Impurezas da mulher

19 "Quando uma mulher tiver fluxo de sangue que sai do corpo, a impureza da sua mens­truação durará sete dias, e quem nela tocar ficará impuro até a tarde.
20 "Tudo sobre o que ela se deitar durante a sua menstruação ficará impuro, e tudo sobre o que ela se sentar ficará impuro.
21 Todo aquele que tocar em sua cama lavará as suas roupas e se banhará com água, e ficará impuro até a tar­de.
22 Quem tocar em alguma coisa sobre a qual ela se sentar lavará as suas roupas, se banhará com água e estará impuro até a tarde.
23 Quer seja a cama, quer seja qualquer coisa sobre a qual ela esteve sentada, quando alguém nisso tocar, estará impuro até a tarde.
24 "Se um homem se deitar com ela e a menstruação dela nele tocar, estará impuro por sete dias; qualquer cama sobre a qual ele se deitar estará impura.
25 "Quando uma mulher tiver um fluxo de sangue por muitos dias fora da sua menstrua­ção normal, ou um fluxo que continue além desse período, ela ficará impura enquanto durar o corrimento, como nos dias da sua menstruação.
26 Qualquer cama em que ela se deitar en­quanto continuar o seu fluxo estará impura, como acontece com a sua cama durante a sua menstruação, e tudo sobre o que ela se sentar estará impuro, como durante a sua menstruação.
27 Quem tocar em alguma dessas coisas ficará impuro; lavará as suas roupas, se banhará com água e ficará impuro até a tarde.
28 "Quando sarar do seu fluxo, contará sete dias e depois disso estará pura.
29 No oitavo dia pegará duas rolinhas ou dois pom­binhos e os levará ao sacerdote, à entrada da Tenda do Encontro.
30 O sacerdote sacrificará um como oferta pelo pecado e o outro como holocausto, e assim fará propiciação em favor dela, perante o Senhor, devido à impureza do seu fluxo.
31 "Mantenham os israelitas separados das coisas que os tornam impuros, para que não morram por contaminar com sua impureza o meu tabernáculo, que está entre eles".
32 Essa é a regulamentação acerca do homem que tem fluxo e daquele de quem sai o sêmen, tornando-se impuro,
33 da mulher em sua menstruação, do homem ou da mulher que têm fluxo e do homem que se deita com uma mulher que está impura.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Capitulo do Dia - 17/06/2013 - Lucas 9

Jesus envia os doze

1 Reunindo os Doze, Jesus deu-lhes poder e autoridade para expulsar todos os demônios e curar doenças
2 e os enviou a pregar o Reino de Deus e a curar os enfermos.
3 E disse-lhes: "Não levem nada pelo caminho: nem bordão, nem saco de viagem, nem pão, nem dinheiro, nem túnica extra.
4 Na casa em que vocês entrarem, fiquem ali até partirem.
5 Se não os receberem, sacudam a poeira dos seus pés quando saírem daquela cidade, como testemunho contra eles".
6 Então, eles saíram e foram pelos povoados, pregando o evangelho e fazendo curas por toda parte.
7 Herodes, o tetrarca, ouviu falar de tudo o que estava acontecendo e ficou perplexo, porque algumas pessoas estavam dizendo que João tinha ressuscitado dos mortos;
8 outros, que Elias tinha aparecido; e ainda outros, que um dos profetas do passado tinha voltado à vida.
9 Mas Herodes disse: "João, eu decapitei! Quem, pois, é este de quem ouço essas coisas?" E procurava vê-lo.

Jesus alimenta cinco mil homens

10 Ao voltarem, os apóstolos relataram a Jesus o que tinham feito. Então ele os tomou, e retiraram-se para uma cidade chamada Betsaida;
11 mas as multidões ficaram sabendo, e o seguiram. Ele as acolheu e falava-lhes acerca do Reino de Deus e curava os que precisavam de cura.
12 Ao fim da tarde os Doze aproximaram-se dele e disseram: "Manda embora a multidão para que eles possam ir aos campos vizinhos e aos povoados, e encontrem comida e pousada, porque aqui estamos em lugar deserto".
13 Ele, porém, respondeu: "Deem-lhes vocês algo para comer". Eles disseram: "Temos apenas cinco pães e dois peixes - a menos que compremos alimento para toda esta multidão". Mas ele disse aos seus discípulos: "Façam-nos sentar-se em grupos de cinquenta".
14 (E estavam ali cerca de cinco mil homens.)
15 Os discípulos assim fizeram, e todos se assentaram.
16 Tomando os cinco pães e os dois peixes e, olhando para o céu, deu graças e os partiu. Em seguida, entregou-os aos discípulos para que os servissem ao povo.
17 Todos comeram e ficaram satisfeitos, e os discípulos recolheram doze cestos cheios de pedaços que sobraram.

Pedro confessa que Jesus é o Messias

18 Certa vez Jesus estava orando em particular, e com ele estavam os seus discípulos; então lhes perguntou: "Quem as multidões dizem que eu sou?"
19 Eles responderam: "Alguns dizem que és João Batista; outros, Elias; e, ainda outros, que és um dos profetas do passado que ressuscitou".
20 "E vocês, o que dizem?", perguntou. "Quem vocês dizem que eu sou?" Pedro respondeu: "O Cristo de Deus".
21 Jesus os advertiu severamente que não contassem isso a ninguém.
22 E disse: "É necessário que o Filho do homem sofra muitas coisas e seja rejeitado pelos líderes religiosos, pelos chefes dos sacerdotes e pelos mestres da lei, seja morto e ressuscite no terceiro dia".
23 Jesus dizia a todos: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me.
24 Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa, este a salvará.
25 Pois que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder-se ou destruir a si mesmo?
26 Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, o Filho do homem se envergonhará dele quando vier em sua glória e na glória do Pai e dos santos anjos.
27 Garanto a vocês que alguns que aqui se acham de modo nenhum experimentarão a morte antes de verem o Reino de Deus".

Jesus transfigura-se

28 Aproximadamente oito dias depois de dizer essas coisas, Jesus tomou a Pedro, João e Tiago e subiu a um monte para orar.
29 Enquanto orava, a aparência de seu rosto se transformou, e suas roupas ficaram alvas e resplandecentes como o brilho de um relâmpago.
30 Surgiram dois homens que começaram a conversar com Jesus. Eram Moisés e Elias.
31 Apareceram em glorioso esplendor e falavam sobre a partida de Jesus, que estava para se cumprir em Jerusalém.
32 Pedro e os seus companheiros estavam dominados pelo sono; acordando subitamente, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com ele.
33 Quando estes iam se retirando, Pedro disse a Jesus: "Mestre, é bom estarmos aqui. Façamos três tendas: uma para ti, uma para Moisés e uma para Elias". (Ele não sabia o que estava dizendo.)
34 Enquanto ele estava falando, uma nuvem apareceu e os envolveu, e eles ficaram com medo ao entrarem na nuvem.
35 Dela saiu uma voz que dizia: "Este é o meu Filho, o Escolhido; ouçam-no!"
36 Tendo-se ouvido a voz, Jesus ficou só. Os discípulos guardaram isto somente para si; naqueles dias, não contaram a ninguém o que tinham visto.

A cura do rapaz com um espírito mau

37 No dia seguinte, quando desceram do monte, uma grande multidão veio ao encontro dele.
38 Um homem da multidão bradou: "Mestre, rogo-te que dês atenção ao meu filho, pois é o único que tenho.
39 Um espírito o domina; de repente ele grita, lança-o em convulsões e o faz espumar; quase nunca o abandona e o está destruindo.
40 Roguei aos teus discípulos que o expulsassem, mas eles não conseguiram".
41 Respondeu Jesus: "Ó geração incrédula e perversa, até quando estarei com vocês e terei que suportá-los? Traga-me aqui o seu filho".
42 Quando o menino vinha vindo, o demônio o lançou por terra, em convulsão. Mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou de volta a seu pai. Estando todos maravilhados com tudo o que Jesus fazia, ele disse aos seus discípulos:
43 E todos ficaram atônitos ante a grandeza de Deus.
44 "Ouçam atentamente o que vou dizer: O Filho do homem será traído e entregue nas mãos dos homens".
45 Mas eles não entendiam o que isso significava; era-lhes encoberto, para que não o entendessem. E tinham receio de perguntar-lhe a respeito dessa palavra.

Quem será o maior?

46 Começou uma discussão entre os discípulos acerca de qual deles seria o maior.
47 Jesus, conhecendo os seus pensamentos, tomou uma criança e a colocou em pé, a seu lado.
48 Então lhes disse: "Quem recebe esta criança em meu nome está me recebendo; e quem me recebe está recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre vocês for o menor, este será o maior".
49 Disse João: "Mestre, vimos um homem expulsando demônios em teu nome e procuramos impedi-lo, porque ele não era um dos nossos".
50 "Não o impeçam", disse Jesus, "pois quem não é contra vocês, é a favor de vocês."

Oposição de Samaria

51 Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém.
52 E enviou mensageiros à sua frente. Indo estes, entraram num povoado samaritano para lhe fazer os preparativos;
53 mas o povo dali não o recebeu porque se notava que ele se dirigia para Jerusalém.
54 Ao verem isso, os discípulos Tiago e João perguntaram: "Senhor, queres que façamos cair fogo do céu para destruí-los?"
55 Mas Jesus, voltando-se, os repreendeu, dizendo: "Vocês não sabem de que espécie de espírito vocês são, pois o Filho do homem não veio para destruir a vida dos homens, mas para salvá-los";
56 e foram para outro povoado.

O custo de seguir Jesus

57 Quando andavam pelo caminho, um homem lhe disse: "Eu te seguirei por onde quer que fores".
58 Jesus respondeu: "As raposas têm suas tocas e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça".
59 A outro disse: "Siga-me". Mas o homem respondeu: "Senhor, deixa-me ir primeiro sepultar meu pai".
60 Jesus lhe disse: "Deixe que os mortos sepultem os seus próprios mortos; você, porém, vá e proclame o Reino de Deus".
61 Ainda outro disse: "Vou seguir-te, Senhor, mas deixa-me primeiro voltar e despedir-me da minha família".
62 Jesus respondeu: "Ninguém que põe a mão no arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus".

Capitulo do Dia - 17/06/2013 - Levítico 14

A purificação da lepra

1 Disse também o Senhor a Moisés:
2 "Esta é a regulamentação acerca ­da purificação de um leproso: Ele será levado ao sacerdote,
3 que sairá do acampamento e o examinará. Se a pessoa foi curada da lepra,
4 o sacerdote orde­nará que duas aves puras, vivas, um pedaço de madeira de cedro, um pano vermelho e um ra­mo de hissopo sejam trazidos em favor daquele que será purificado.
5 Então o sacerdote ordenará que uma das aves seja morta numa vasilha de barro com água da fonte.
6 Então pegará a ave viva e a molhará, com o pedaço de madeira de cedro, com o pano vermelho e com o ramo de hissopo, no sangue da ave morta em água corrente.
7 Sete vezes ele aspergirá aque­le que está sendo purificado da lepra e o declarará puro. Depois soltará a ave viva em campo aber­to.
8 "Aquele que estiver sendo purificado lavará as suas roupas, rapará todos os seus pelos e se banhará com água; e assim estará puro. Depois disso poderá entrar no acampamento, mas ficará fora da sua tenda por sete dias.
9 No sétimo dia rapará todos os seus pelos: o cabelo, a barba, as sobrancelhas e o restante dos pelos. Lavará suas roupas e banhará o corpo com água; então ficará puro.
10 "No oitavo dia pegará dois cordeiros sem defeito e uma cordeira de um ano sem de­feito, com três jarros da melhor farinha amassada com óleo, como oferta de cereal, e uma caneca de óleo.
11 O sacerdote que faz a purificação apresentará ao Senhor, à en­trada da Tenda do Encontro, tanto aquele que estiver para ser purificado como as suas ofertas.
12 "Então o sacerdote pegará um dos cor­deiros e o sacrificará como oferta pela culpa, com a caneca de óleo; ele os move­rá perante o Senhor como gesto ritual de apre­sentação e
13 matará o cordeiro no Lugar Santo, onde são sacrificados a oferta pelo pecado e o holocausto. Como se dá com a oferta pelo peca­do, também a oferta pela culpa pertence ao sa­cerdote; é santíssima.
14 O sacerdote porá um pouco do sangue da oferta pela culpa na ponta da orelha direita daquele que será purificado, no polegar da sua mão direita e no polegar do seu pé direito.
15 Então o sacerdote pegará um pouco de óleo da caneca e o derramará na palma da sua própria mão esquerda,
16 molhará o dedo direito no óleo que está na palma da mão es­querda e com o dedo o aspergirá sete vezes perante o Senhor.
17 O sacerdote ainda porá um pouco do óleo restante na palma da sua mão, na ponta da orelha direita daquele que está sendo purificado, no polegar da sua mão direita e no polegar do seu pé direito, em cima do sangue da oferta pela culpa.
18 O óleo que restar na palma da sua mão, o sacerdote derramará sobre a ca­beça daquele que está sendo purificado e fará propiciação por ele perante o Senhor.
19 "Então o sacerdote sacrificará a oferta pelo pecado e fará propiciação em favor daque­le que está sendo purificado da sua impureza. Depois disso, o sacerdote matará o animal do holocausto
20 e o oferecerá sobre o altar com a ofer­ta de cereal; e assim fará pro­piciação pelo ofertante, o qual estará puro.
21 "Se, todavia, o ofertante for pobre, sem recursos para isso, pegará um cordeiro como oferta pela culpa, o qual será movido para fazer propiciação pelo ofertante, com um jarro da melhor farinha, amassada com óleo, como oferta de cereal, uma caneca de óleo
22 e duas rolinhas ou dois pombinhos, conforme os seus recursos, um como oferta pelo pe­cado e o outro como holocausto.
23 "No oitavo dia o ofertante os trará, para a sua purificação, ao sacerdo­te, à entrada da Tenda do Encontro, perante o Senhor.
24 O sacerdote pegará o cordeiro da oferta pela culpa, com uma caneca de óleo, e os moverá perante o Senhor como gesto ritual de apresen­tação.
25 Matará o cordeiro da oferta pela culpa e pegará um pouco do sangue e o porá na ponta da orelha direita daquele que está sendo purifi­cado, no polegar da sua mão direita e no pole­gar do seu pé direito.
26 O sacerdote derramará um pouco do óleo na palma da sua mão esquer­da,
27 e com o dedo indicador direito aspergirá um pouco do óleo da palma da sua mão esquer­da sete vezes perante o Senhor.
28 Ele porá o óleo da palma da sua mão nos mesmos lugares em que pôs o sangue da oferta pela culpa: na ponta da orelha direita daquele que está sendo purificado, no polegar da sua mão direita e no polegar do seu pé direito.
29 O que restar do óleo na palma da sua mão, o sacerdote derramará sobre a cabeça daquele que está sendo purifica­do, para fazer propiciação por ele perante o Senhor.
30 Depois sacrificará uma das rolinhas ou um dos pombinhos, conforme os seus recursos,
31 um como oferta pelo pecado e o outro como holocausto, com a oferta de cereal. Assim o sacerdote fará propiciação perante o Senhor em favor daque­le que está sendo purificado".
32 Essa é a regulamentação para todo aque­le que tem lepra e não tem recursos para fazer a oferta da sua purificação.
33 O Senhor disse a Moisés e a Arão:
34 "Quando vocês entrarem na terra de Canaã, que dou a vocês como propriedade, e eu puser man­cha de mofo numa casa, na terra que lhes pertence,
35 o dono da casa irá ao sacerdote e dirá: Parece-me que há mancha de mofo em minha casa.
36 Antes de examinar o mofo, o sacerdote ordenará que desocupem a casa para que nada que houver na casa se torne impuro. Depois disso, o sacerdote irá examinar a casa.
37 Examinará as manchas nas paredes e, se elas forem esverdeadas ou avermelhadas e parece­rem mais profundas do que a superfície da pare­de,
38 o sacerdote sairá da casa e a deixará fecha­da por sete dias.
39 No sétimo dia voltará para examinar a casa. Se as manchas se houverem espalhado pelas paredes da casa,
40 ordenará que as pedras contaminadas pelas manchas sejam retiradas e jogadas num local impuro, fora da cidade.
41 Fará que a casa seja raspada por den­tro e que o reboco raspado seja jogado num local impuro, fora da cidade.
42 Depois coloca­rão outras pedras no lugar das primeiras e rebo­carão a casa com barro novo.
43 "Se as manchas tornarem a alastrar-se na casa depois de retiradas as pedras e de raspa­da e rebocada a casa,
44 o sacerdote irá examiná-la e, se as manchas se espalharam pela casa, é mofo corrosivo; a casa está impura.
45 Ela terá que ser demolida: as pedras, as madeiras e todo o reboco da casa; tudo será levado para um lo­cal impuro, fora da cidade.
46 "Quem entrar na casa enquanto estiver fechada estará impuro até a tarde.
47 Aquele que dormir ou comer na casa terá que lavar as suas roupas.
48 "Mas, se o sacerdote for examiná-la e as manchas não se houverem espalhado depois de rebocada a casa, declarará pura a casa, pois as man­chas de mofo desapareceram.
49 Para pu­rificar a casa, ele pegará duas aves, um pedaço de madeira de cedro, um pano vermelho e his­sopo.
50 De­pois matará uma das aves numa vasi­lha de barro com água da fonte.
51 Então pegará o pedaço de madeira de cedro, o hissopo, o pa­no vermelho e a ave viva, e os molhará no san­gue da ave morta e na água da fonte, e aspergirá a casa sete vezes.
52 Ele purificará a casa com o sangue da ave, com a água da fonte, com a ave viva, com o pedaço de madeira de cedro, com o hissopo e com o pano vermelho.
53 Depois solta­rá a ave viva em campo aberto, fora da cidade. Assim fará propiciação pela casa, e ela ficará pura".
54 Essa é a regulamentação acerca de qual­quer tipo de lepra, de sarna,
55 de mofo nas roupas ou numa casa
56 e de inchaço, erupção ou mancha brilhante,
57 para se determinar quando uma coisa é pura ou impura. Essa é a regulamentação acerca de qual­quer tipo ­de lepra e de mofo.

Capitulo do Dia - 17/06/2013 - Levítico 13

Leis referentes à lepra

1 Disse o Senhor a Moisés e a Arão:
2 "Quando alguém tiver um inchaço, uma erup­ção ou uma mancha brilhante na pele que possa ser sinal de lepra, será levado ao sacerdote Arão ou a um dos seus filhos que seja sacerdo­te.
3 Este examinará a parte afetada da pele, e, se naquela parte o pelo tiver se tornado branco e o lugar parecer mais profundo do que a pele, é sinal de lepra. Depois de examiná-lo, o sacerdo­te o declarará impuro.
4 Se a mancha na pele for branca, mas não parecer mais profunda do que a pele e sobre ela o pelo não tiver se tornado bran­co, o sacerdote o porá em isolamento por sete dias.
5 No sétimo dia o sacerdote o exami­nará e, se verificar que a parte afetada não se alterou nem se espalhou pela pele, o manterá em isolamento por mais sete dias.
6 Ao sétimo dia o sacerdote o examinará de novo e, se a parte afetada diminuiu e não se espalhou pela pele, o sacerdote o declarará puro; é apenas uma erupção. Então ele lavará as suas roupas, e estará puro.
7 Mas, se depois que se apresentou ao sacerdote para ser declarado puro a erupção se espalhar pela pele, ele terá que se apresentar novamente ao sacerdote.
8 O sacerdote o exami­nará e, se a erupção tiver se espalhado pela pele, ele o declarará impuro; trata-se de lepra.
9 "Quando alguém apresentar sinal de lepra, será levado ao sacerdote.
10 Este o exami­nará e, se houver inchaço branco na pele, o qual tenha tornado branco o pelo, e se houver carne viva no inchaço,
11 é lepra crônica na pele, e o sacerdote o declarará impuro. Não o porá em isolamento, porquanto já está impuro.
12 "Se a doença se alastrar e cobrir toda a pele da pessoa infectada, da ca­beça aos pés, até onde é possível ao sacerdote verificar,
13 este a examinará e, se observar que a lepra cobriu todo o corpo, ele a declarará pu­ra. Visto que tudo tenha ficado branco, ela está pura.
14 Mas, quando nela aparecer carne viva, ficará impura.
15 Quando o sacerdote vir a carne viva, ele a declarará impura. A carne viva é impura; trata-se de lepra.
16 Se a carne viva retroceder e a pele se tornar branca, a pessoa voltará ao sa­cerdote.
17 Es­te a examinará e, se a parte afetada tiver se tornado branca, o sacerdote declarará pura a pessoa infectada, a qual então estará pura.
18 "Quando alguém tiver uma ferida pu­rulenta em sua pele e ela sarar
19 e no lugar da ferida aparecer um inchaço branco ou uma man­cha avermelhada, ele se apresentará ao sa­cerdote.
20 Este examinará o local e, se parecer mais profundo do que a pele e o pelo ali tiver se tornado branco, o sacerdote o declarará impuro. É sinal de lepra que se alastrou onde estava a ferida.
21 Mas, se quando o sacerdote o examinar não houver nenhum pelo branco e o lugar não estiver mais profundo do que a pele e tiver di­minuído, então o sacerdote o porá em isolamen­to por sete dias.
22 Se de fato estiver se espalhan­do pela pele, o sacerdote o declarará impuro; é sinal de lepra.
23 Mas, se a mancha não tiver se alterado nem se espalhado, é apenas a cicatriz da ferida, e o sacerdote o declarará puro.
24 "Quando alguém tiver uma queimadu­ra na pele, e uma mancha avermelhada ou bran­ca aparecer na carne viva da queimadura,
25 o sacerdote examinará a mancha e, se o pelo sobre ela tiver se tornado branco e ela parecer mais profunda do que a pele, é lepra que surgiu na queimadura. O sacerdote o declarará impuro; é sinal de lepra na pele.
26 Mas, se o sacerdote examinar a mancha e nela não houver pelo bran­co e esta não estiver mais profunda do que a pele e tiver diminuído, então o sacerdote o porá em isolamento por sete dias.
27 No sétimo dia o sacerdote o examinará e, se a mancha tiver se espalhado pela pele, o sacerdote o declarará impuro; é sinal de lepra.
28 Se, todavia, a mancha não tiver se alterado nem se espalha­do pela pele, mas tiver diminuído, é um inchaço da queimadura, e o sacerdote o declarará puro; é apenas a cicatriz da queimadura.
29 "Quando um homem ou uma mulher tiver uma ferida na cabeça ou no queixo,
30 o sacerdote examinará a ferida e, se ela parecer mais profunda do que a pele e o pelo nela for amarelado e fino, o sacerdote declarará impura aquela pessoa; é sarna, isto é, lepra da cabeça ou do queixo.
31 Mas, se quando o sacerdote examinar o sinal de sarna este não parecer mais profundo do que a pele e não houver pelo escu­ro nela, então o sacerdote porá a pessoa infecta­da em isolamento por sete dias.
32 No sétimo dia o sacerdote examinará a parte afetada e, se a sarna não tiver se espalhado e não houver pelo amarelado nela e não parecer mais profunda do que a pele,
33 a pessoa rapará os pelos, exceto na parte afetada, e o sacerdote a porá em isolamen­to por mais sete dias.
34 No sétimo dia o sacerdo­te examinará a sarna e, se não tiver se espalha­do mais e não parecer mais profunda do que a pele, o sacerdote declarará pura a pessoa. Esta lavará suas roupas e estará pura.
35 Mas, se a sarna se espalhar pela pele depois que a pessoa for declarada pura,
36 o sacerdote a examinará e, se a sarna tiver se espalhado pela pele, o sacer­dote não precisará procurar pelo amarelado; a pessoa está impura.
37 Se, entretanto, verificar que não houve alteração e cresceu pelo escuro, a sarna está curada. A pessoa está pura, e o sacerdote a declarará pura.
38 "Quando um homem ou uma mulher tiver manchas brancas na pele,
39 o sacerdote examinará as manchas; se forem brancas e sem brilho, é um eczema que se alastrou; essa pes­soa está pura.
40 "Quando os cabelos de um homem caírem, ele está calvo, todavia puro.
41 Se lhe caírem os cabelos da frente da cabeça, ele está meio-calvo, porém puro.
42 Mas, se tiver uma ferida avermelhada na parte calva da frente ou de trás da cabeça, é lepra que se alastra pela calva da frente ou de trás da cabeça.
43 O sacer­dote o examinará e, se a ferida inchada na parte da frente ou de trás da calva for avermelhada como a lepra de pele,
44 o homem está leproso e impuro. O sacerdote terá que declará-lo impuro devido à ferida na cabeça.
45 "Quem ficar leproso, apresentando quaisquer desses sintomas, usará roupas rasga­das, andará descabelado, cobrirá a parte inferior do rosto e gritará: 'Impuro! Impuro!'
46 Enquan­to tiver a doença, estará impuro. Viverá separa­do, fora do acampamento.
47 "Quando aparecer mancha de mofo em alguma roupa - seja de lã, seja de li­nho -
48 ou em qualquer peça tecida ou entrelaça­da de linho ou de lã, ou em algum pedaço ou objeto de couro,
49 se a mancha na roupa, ou no pedaço de couro, ou na peça tecida ou entrela­çada, ou em qualquer objeto de couro, for es­verdeada ou avermelhada, é mancha de mofo que deverá ser mostrada ao sacerdote.
50 O sa­cerdote examinará a mancha e isolará o objeto afetado por sete dias.
51 No sétimo dia examina­rá a mancha e, se ela tiver se espalhado pela roupa, ou pela peça tecida ou entrelaçada, ou pelo pedaço de couro, qualquer que seja o seu uso, é mofo corrosivo; o objeto está impuro.
52 Ele queimará a roupa, ou a peça tecida ou entrelaçada, ou qualquer objeto de couro que tiver a mancha, pois é mofo corrosivo; o objeto será queimado.
53 "Mas, se, quando o sacerdote o exami­nar, a mancha não tiver se espalhado pela rou­pa, ou pela peça tecida ou entrelaçada, ou pelo objeto de couro,
54 ordenará que o objeto afetado seja lavado. Então ele o isolará por mais sete dias.
55 Depois de lavado o objeto afetado, o sacerdote o examinará e, se a mancha não tiver alterado sua cor, ainda que não tenha se espa­lhado, o objeto estará impuro. Queime-o com fogo, quer o mofo corrosivo tenha afetado um lado do objeto quer o outro.
56 Se, quando o sa­cerdote o examinar, a mancha tiver diminuído depois de lavado o objeto, ele cortará a parte afetada da roupa, ou do pedaço de couro, ou da peça tecida ou entrelaçada.
57 Mas, se a mancha ainda aparecer na roupa, ou na peça tecida ou entrelaçada, ou no objeto de couro, é mofo que se alastra, e tudo o que tiver o mofo será quei­mado com fogo.
58 Mas, se, depois de lavada, a man­cha desaparecer da roupa, ou da peça tecida ou entrelaçada, ou do objeto de couro, o objeto afetado será la­vado de novo, e então estará puro".
59 Essa é a regulamentação acerca da man­cha de mofo nas roupas de lã ou de linho, nas peças tecidas ou entrelaçadas, ou nos obje­tos de couro, para que sejam declarados puros ou impuros.

domingo, 16 de junho de 2013

Capitulo do Dia - 16/06/2013 - Lucas 8

A ilustração do semeador

1 Depois disso Jesus ia passando pelas cidades e povoados proclamando as boas-novas do Reino de Deus. Os Doze estavam com ele,
2 e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e doenças: Maria, chamada Madalena, de quem haviam saído sete demônios;
3 Joana, mulher de Cuza, administrador da casa de Herodes; Susana e muitas outras. Essas mulheres ajudavam a sustentá-los com os seus bens.
4 Reunindo-se uma grande multidão e vindo a Jesus gente de várias cidades, ele contou esta parábola:
5 "O semeador saiu a semear. Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram.
6 Parte dela caiu sobre pedras e, quando germinou, as plantas secaram, porque não havia umidade.
7 Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram com ela e sufocaram as plantas.
8 Outra ainda caiu em boa terra. Cresceu e deu boa colheita, a cem por um". Tendo dito isso, exclamou: "Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça!"
9 Seus discípulos perguntaram-lhe o que significava aquela parábola.
10 Ele disse: "A vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino de Deus, mas aos outros falo por parábolas, para que " 'vendo, não vejam; e ouvindo, não entendam'.
11 "Este é o significado da parábola: A semente é a palavra de Deus.
12 As que caíram à beira do caminho são os que ouvem, e então vem o Diabo e tira a palavra do seu coração, para que não creiam e não sejam salvos.
13 As que caíram sobre as pedras são os que recebem a palavra com alegria quando a ouvem, mas não têm raiz. Creem durante algum tempo, mas desistem na hora da provação.
14 As que caíram entre espinhos são os que ouvem, mas, ao seguirem seu caminho, são sufocados pelas preocupações, pelas riquezas e pelos prazeres desta vida, e não amadurecem.
15 Mas as que caíram em boa terra são os que, com coração bom e generoso, ouvem a palavra, a retêm e dão fruto, com perseverança.

A luz do candeeiro

16 "Ninguém acende uma candeia e a esconde num jarro ou a coloca debaixo de uma cama. Ao contrário, coloca-a num lugar apropriado, de modo que os que entram possam ver a luz.
17 Porque não há nada oculto que não venha a ser revelado e nada escondido que não venha a ser conhecido e trazido à luz.
18 Portanto, considerem atentamente como vocês estão ouvindo. A quem tiver, mais lhe será dado; de quem não tiver, até o que pensa que tem lhe será tirado".

A mãe e os irmãos de Jesus

19 A mãe e os irmãos de Jesus foram vê-lo, mas não conseguiam aproximar-se dele, por causa da multidão.
20 Alguém lhe disse: "Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem ver-te".
21 Ele lhe respondeu: "Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a praticam".

Jesus acalma a tempestade

22 Certo dia Jesus disse aos seus discípulos: "Vamos para o outro lado do lago". Eles entraram num barco e partiram.
23 Enquanto navegavam, ele adormeceu. Abateu-se sobre o lago um forte vendaval, de modo que o barco estava sendo inundado, e eles corriam grande perigo.
24 Os discípulos foram acordá-lo, clamando: "Mestre, Mestre, vamos morrer!"
25 Ele se levantou e repreendeu o vento e a violência das águas; tudo se acalmou e ficou tranquilo. "Onde está a sua fé?", perguntou ele aos seus discípulos. Amedrontados e admirados, eles perguntaram uns aos outros: "Quem é este que até aos ventos e às águas dá ordens, e eles lhe obedecem?"

Um homem dominado por demônios

26 Navegaram para a região dos gerasenos, que fica do outro lado do lago, frente à Galileia.
27 Quando Jesus pisou em terra, foi ao encontro dele um endemoninhado daquela cidade. Fazia muito tempo que aquele homem não usava roupas, nem vivia em casa alguma, mas nos sepulcros.
28 Quando viu Jesus, gritou, prostrou-se aos seus pés e disse em alta voz: "Que queres comigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Rogo-te que não me atormentes!"
29 Pois Jesus havia ordenado que o espírito imundo saísse daquele homem. Muitas vezes ele tinha se apoderado dele. Mesmo com os pés e as mãos acorrentados e entregue aos cuidados de guardas, quebrava as correntes e era levado pelo demônio a lugares solitários.
30 Jesus lhe perguntou: "Qual é o seu nome?" "Legião", respondeu ele; porque muitos demônios haviam entrado nele.
31 E imploravam-lhe que não os mandasse para o Abismo.
32 Uma grande manada de porcos estava pastando naquela colina. Os demônios imploraram a Jesus que lhes permitisse entrar neles, e Jesus lhes deu permissão.
33 Saindo do homem, os demônios entraram nos porcos, e toda a manada atirou-se precipício abaixo em direção ao lago e se afogou.
34 Vendo o que acontecera, os que cuidavam dos porcos fugiram e contaram esses fatos na cidade e nos campos,
35 e o povo foi ver o que havia acontecido. Quando se aproximaram de Jesus, viram que o homem de quem haviam saído os demônios estava assentado aos pés de Jesus, vestido e em perfeito juízo, e ficaram com medo.
36 Os que o tinham visto contaram ao povo como o endemoninhado fora curado.
37 Então, todo o povo da região dos gerasenos suplicou a Jesus que se retirasse, porque estavam dominados pelo medo. Ele entrou no barco e regressou.
38 O homem de quem haviam saído os demônios suplicava-lhe que o deixasse ir com ele; mas Jesus o mandou embora, dizendo:
39 "Volte para casa e conte o quanto Deus fez a você". Assim, o homem se foi e anunciou na cidade inteira o quanto Jesus tinha feito por ele.

Uma moça morta e uma doente

40 Quando Jesus voltou, uma multidão o recebeu com alegria, pois todos o esperavam.
41 Então um homem chamado Jairo, dirigente da sinagoga, veio e prostrou-se aos pés de Jesus, implorando-lhe que fosse à sua casa
42 porque sua única filha, de cerca de doze anos, estava à morte. Estando Jesus a caminho, a multidão o comprimia.
43 E estava ali certa mulher que havia doze anos vinha sofrendo de hemorragia e gastara tudo o que tinha com os médicos; mas ninguém pudera curá-la.
44 Ela chegou por trás dele, tocou na borda de seu manto, e imediatamente cessou sua hemorragia.
45 "Quem tocou em mim?", perguntou Jesus. Como todos negassem, Pedro disse: "Mestre, a multidão se aglomera e te comprime".
46 Mas Jesus disse: "Alguém tocou em mim; eu sei que de mim saiu poder".
47 Então a mulher, vendo que não conseguiria passar despercebida, veio tremendo e prostrou-se aos seus pés. Na presença de todo o povo contou por que tinha tocado nele e como fora instantaneamente curada.
48 Então ele lhe disse: "Filha, a sua fé a curou! Vá em paz".
49 Enquanto Jesus ainda estava falando, chegou alguém da casa de Jairo, o dirigente da sinagoga, e disse: "Sua filha morreu. Não incomode mais o Mestre".
50 Ouvindo isso, Jesus disse a Jairo: "Não tenha medo; tão somente creia, e ela será curada".
51 Quando chegou à casa de Jairo, não deixou ninguém entrar com ele, exceto Pedro, João, Tiago e o pai e a mãe da criança.
52 Enquanto isso, todo o povo estava se lamentando e chorando por ela. "Não chorem", disse Jesus. "Ela não está morta, mas dorme."
53 Todos começaram a rir dele, pois sabiam que ela estava morta.
54 Mas ele a tomou pela mão e disse: "Menina, levante-se!"
55 O espírito dela voltou, e ela se levantou imediatamente. Então Jesus lhes ordenou que dessem de comer a ela.
56 Os pais dela ficaram maravilhados, mas ele lhes ordenou que não contassem a ninguém o que tinha acontecido.

Capitulo do Dia - 16/06/2013 - Levítico 12

Purificação após o parto

1 Disse o Senhor a Moisés:
2 "Diga aos israelitas: Quando uma mulher engravidar e der à luz um menino, estará impura por sete dias, assim como está impura durante o seu período menstrual.
3 No oitavo dia o menino terá que ser circuncidado.
4 Então a mulher aguarda­rá trinta e três dias para ser purificada do seu sangramento. Não poderá tocar em nenhuma coisa sagrada e não poderá ir ao santuário, até que se completem os dias da sua purificação.
5 Se der à luz uma menina, estará impura por duas semanas, como durante o seu período mens­trual. Nesse caso aguardará sessenta e seis dias para ser purificada do seu sangramento.
6 "Quando se completarem os dias da sua purificação pelo nascimento de um menino ou de uma menina, ela trará ao sacerdote, à entrada da Tenda do Encontro, um cordeiro de um ano para o holocausto e um pombinho ou uma roli­nha como oferta pelo pecado.
7 O sacerdote os oferecerá ao Senhor para fazer propiciação por ela, que ficará pura do fluxo do seu sangramento. Essa é a regulamentação para a mulher que der à luz um menino ou uma menina.
8 Se ela não tiver recursos para oferecer um cordeiro, poderá tra­zer duas rolinhas ou dois pombinhos, um para o holocausto e o outro para a oferta pelo peca­do. Assim o sacerdote fará propiciação por ela, e ela ficará pura".

Capitulo do Dia - 16/06/2013 - Levítico 11

Animais que se pode e que não se pode comer

1 Disse o Senhor a Moisés e a Arão:
2 "Digam aos israelitas: De todos os animais que vivem na terra, estes são os que vocês poderão comer:
3 qualquer animal que tem casco fendido e dividido em duas unhas e que rumina.
4 "Vocês não poderão comer aqueles que só ruminam nem os que só têm o casco fendido. O camelo, embora rumine, não tem casco fendi­do; considerem-no impuro.
5 O coelho, embora rumine, não tem casco fendido; é impuro para vocês.
6 A lebre, embora rumine, não tem casco fendido; considerem-na impura.
7 E o porco, embora tenha casco fendido e dividido em duas unhas, não rumina; considerem-no impuro.
8 Vo­cês não comerão a carne desses animais nem tocarão em seus cadáveres; considerem-nos impuros.
9 "De todas as criaturas que vivem nas águas do mar e dos rios, vocês poderão comer todas as que possuem barbatanas e escamas.
10 Mas todas as criaturas que vivem nos mares ou nos rios, que não possuem barbatanas e esca­mas - quer entre todas as pequenas criaturas que povoam as águas, quer entre todos os ou­tros animais das águas -, serão proibidas para vocês.
11 Por isso, não poderão comer sua carne e considerarão impuros os seus cadáveres.
12 Tu­do o que vive na água e não possui barbatanas e escamas será proibido para vocês.
13 "Estas são as aves que vocês conside­rarão impuras, das quais não poderão comer porque são proibidas: a águia, o urubu, a águia-marinha,
14 o milhafre, o falcão,
15 qualquer espé­cie de corvo,
16 a coruja-de-chifre, a coruja-de-orelha-pequena, a coruja-orelhuda, qual­quer espécie de gavião,
17 o mocho, a coruja-pescado­ra e o corujão,
18 a coruja-branca, a coruja-do-deserto, o abutre,
19 a cegonha, qualquer tipo de garça, a poupa e o morcego.
20 "Todas as pequenas criaturas que en­xameiam, que têm asas e se movem pelo chão serão proibidas para vocês.
21 Dessas, porém, vocês poderão comer aquelas que têm pernas articuladas para saltar no chão.
22 Dessas vocês poderão comer os diversos tipos de gafanhotos.
23 Mas considerarão impuras to­das as outras criaturas que enxameiam, que têm asas e se movem pelo chão.
24 "Por meio delas vocês ficarão impu­ros; todo aquele que tocar em seus cadáveres estará impuro até a tarde.
25 Todo o que carregar o cadáver de alguma delas deverá lavar as suas roupas e estará impuro até a tarde.
26 "Todo animal de casco não dividido em duas unhas ou que não rumina é impuro para vocês; quem tocar qualquer um deles fica­rá impuro.
27 Todos os animais de quatro pés, que andam sobre a planta dos pés, são impuros para vocês; todo o que tocar os seus cadáveres ficará impuro até a tarde.
28 Quem carregar o cadáver de algum deles lavará suas roupas e estará impuro até a tarde. São impuros para vocês.
29 "Dos animais que se movem rente ao chão, estes vocês considerarão impuros: a doni­nha, o rato, qualquer espécie de lagarto grande,
30 a lagartixa, o lagarto-pintado, o lagarto, o la­garto da areia e o camaleão.
31 De todos os que se movem rente ao chão, esses vocês considera­rão impuros. Quem neles tocar depois de mor­tos estará impuro até a tarde.
32 E tudo sobre o que um deles cair depois de morto, qual­quer que seja o seu uso, ficará impuro - não importa se o objeto for feito de madeira, de pano, de couro ou de pano de saco. Deverá ser posto em água e estará im­puro até a tarde; então ficará puro.
33 Se um deles cair dentro de uma vasilha de barro, tudo o que nela houver ficará impuro, e vocês que­brarão a vasilha.
34 Qual­quer alimento sobre o qual cair essa água ficará impuro, e qualquer bebida que estiver dentro da vasilha ficará im­pura.
35 Tudo aqui­lo sobre o que o cadáver de um desses animais cair ficará impuro; se for um forno ou um fogão de barro vocês o quebrarão. Estão impuros, e vocês os considerarão como tais.
36 Mas, se cair numa fonte ou numa cisterna onde se recolhe água, ela permanece pura; mas quem tocar no cadáver ficará impuro.
37 Se um cadáver cair sobre alguma semente a ser planta­da, ela permanece pura;
38 mas, se foi derramada água sobre a semente, vocês a considerarão impura.
39 "Quando morrer um animal que vocês têm permissão para comer, quem tocar no seu cadáver ficará impuro até a tarde.
40 Quem co­mer da carne do animal morto terá que lavar as suas roupas e ficará impuro até a tarde. Quem carregar o cadáver do animal terá que lavar as suas roupas e ficará impuro até a tarde.
41 "Todo animal que se move rente ao chão será proibido a vocês e não poderá ser comi­do.
42 Vo­cês não poderão comer animal algum que se move rente ao chão, quer se arraste sobre o ventre, quer ande de quatro ou com o auxílio de muitos pés; são proibidos a vocês.
43 Não se contaminem com qualquer desses animais. Não se tornem impuros com eles nem deixem que eles os tornem impuros.
44 Pois eu sou o Senhor, o Deus de vocês; consagrem-se e sejam santos, porque eu sou santo. Não se tornem impuros com qualquer animal que se move rente ao chão.
45 Eu sou o Senhor que os tirou da terra do Egito para ser o seu Deus; por isso, sejam santos, porque eu sou santo.
46 "Essa é a regulamentação acerca dos animais, das aves, de todos os seres vivos que se movem na água e de todo animal que se mo­ve rente ao chão.
47 Vo­cês farão separação entre o impuro e o puro, entre os animais que podem ser comidos e os que não podem".

sábado, 15 de junho de 2013

Capitulo do Dia - 15/06/2013 - Lucas 7

A fé do oficial do exército

1 Tendo terminado de dizer tudo isso ao povo, Jesus entrou em Cafarnaum.
2 Ali estava o servo de um centurião, doente e quase à morte, a quem seu senhor estimava muito.
3 Ele ouviu falar de Jesus e enviou-lhe alguns líderes religiosos dos judeus, pedindo-lhe que fosse curar o seu servo.
4 Chegando-se a Jesus, suplicaram-lhe com insistência: "Este homem merece que lhe faças isso,
5 porque ama a nossa nação e construiu a nossa sinagoga".
6 Jesus foi com eles. Já estava perto da casa quando o centurião mandou amigos dizerem a Jesus: "Senhor, não te incomodes, pois não mereço receber-te debaixo do meu teto.
7 Por isso, nem me considerei digno de ir ao teu encontro. Mas dize uma palavra, e o meu servo será curado.
8 Pois eu também sou homem sujeito a autoridade e com soldados sob o meu comando. Digo a um: Vá, e ele vai; e a outro: Venha, e ele vem. Digo a meu servo: Faça isto, e ele faz".
9 Ao ouvir isso, Jesus admirou-se dele e, voltando-se para a multidão que o seguia, disse: "Eu digo que nem em Israel encontrei tamanha fé".
10 Então os homens que haviam sido enviados voltaram para casa e encontraram o servo restabelecido.

Jesus ressuscita o filho de uma viúva

11 Logo depois, Jesus foi a uma cidade chamada Naim, e com ele iam os seus discípulos e uma grande multidão.
12 Ao se aproximar da porta da cidade, estava saindo o enterro do filho único de uma viúva; e uma grande multidão da cidade estava com ela.
13 Ao vê-la, o Senhor se compadeceu dela e disse: "Não chore".
14 Depois, aproximou-se e tocou no caixão, e os que o carregavam pararam. Jesus disse: "Jovem, eu digo, levante-se!"
15 O jovem sentou-se e começou a conversar, e Jesus o entregou à sua mãe.
16 Todos ficaram cheios de temor e louvavam a Deus. "Um grande profeta se levantou dentre nós", diziam eles. "Deus interveio em favor do seu povo."
17 Essas notícias sobre Jesus espalharam-se por toda a Judeia e regiões circunvizinhas.

Jesus e João Batista

18 Os discípulos de João contaram-lhe todas essas coisas. Chamando dois deles,
19 enviou-os ao Senhor para perguntarem: "És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?"
20 Dirigindo-se a Jesus, aqueles homens disseram: "João Batista nos enviou para te perguntarmos: 'És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?' "
21 Naquele momento Jesus curou muitos que tinham males, doenças graves e espíritos malignos, e concedeu visão a muitos que eram cegos.
22 Então ele respondeu aos mensageiros: "Voltem e anunciem a João o que vocês viram e ouviram: os cegos veem, os aleijados andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados e as boas-novas são pregadas aos pobres;
23 e feliz é aquele que não se escandaliza por minha causa".
24 Depois que os mensageiros de João foram embora, Jesus começou a falar à multidão a respeito de João: "O que vocês foram ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?
25 Ou, o que foram ver? Um homem vestido de roupas finas? Ora, os que vestem roupas esplêndidas e se entregam ao luxo estão nos palácios.
26 Afinal, o que foram ver? Um profeta? Sim, eu digo a vocês, e mais que profeta.
27 Este é aquele a respeito de quem está escrito: " 'Enviarei o meu mensageiro à tua frente; ele preparará o teu caminho diante de ti'.
28 Eu digo que entre os que nasceram de mulher não há ninguém maior do que João; todavia, o menor no Reino de Deus é maior do que ele".
29 Todo o povo, até os publicanos, ouvindo as palavras de Jesus, reconheceram que o caminho de Deus era justo, sendo batizados por João.
30 Mas os fariseus e os peritos na lei rejeitaram o propósito de Deus para eles, não sendo batizados por João.
31 "A que posso, pois, comparar os homens desta geração?", prosseguiu Jesus. "Com que se parecem?
32 São como crianças que ficam sentadas na praça e gritam umas às outras: " 'Nós tocamos flauta, mas vocês não dançaram; cantamos um lamento, mas vocês não choraram'.
33 Pois veio João Batista, que jejua e não bebe vinho, e vocês dizem: 'Ele tem demônio'.
34 Veio o Filho do homem, comendo e bebendo, e vocês dizem: 'Aí está um comilão e beberrão, amigo de publicanos e pecadores'.
35 Mas a sabedoria é comprovada por todos os seus discípulos."

Jesus é ungido por uma mulher

36 Convidado por um dos fariseus para jantar, Jesus foi à casa dele e reclinou-se à mesa.
37 Ao saber que Jesus estava comendo na casa do fariseu, certa mulher daquela cidade, uma pecadora, trouxe um frasco de alabastro com perfume
38 e se colocou atrás de Jesus, a seus pés. Chorando, começou a molhar-lhe os pés com suas lágrimas. Depois os enxugou com seus cabelos, beijou-os e os ungiu com o perfume.
39 Ao ver isso, o fariseu que o havia convidado disse a si mesmo: "Se este homem fosse profeta, saberia quem nele está tocando e que tipo de mulher ela é: uma pecadora".
40 Então lhe disse Jesus: "Simão, tenho algo a dizer a você". "Dize, Mestre", disse ele.
41 "Dois homens deviam a certo credor. Um lhe devia quinhentos denários e o outro, cinquenta.
42 Nenhum dos dois tinha com que lhe pagar, por isso perdoou a dívida a ambos. Qual deles o amará mais?"
43 Simão respondeu: "Suponho que aquele a quem foi perdoada a dívida maior". "Você julgou bem", disse Jesus.
44 Em seguida, virou-se para a mulher e disse a Simão: "Vê esta mulher? Entrei em sua casa, mas você não me deu água para lavar os pés; ela, porém, molhou os meus pés com suas lágrimas e os enxugou com seus cabelos.
45 Você não me saudou com um beijo, mas esta mulher, desde que entrei aqui, não parou de beijar os meus pés.
46 Você não ungiu a minha cabeça com óleo, mas ela derramou perfume nos meus pés.
47 Portanto, eu digo, os muitos pecados dela lhe foram perdoados; pois ela amou muito. Mas aquele a quem pouco foi perdoado, pouco ama".
48 Então Jesus disse a ela: "Seus pecados estão perdoados".
49 Os outros convidados começaram a perguntar: "Quem é este que até perdoa pecados?"
50 Jesus disse à mulher: "Sua fé a salvou; vá em paz".

Capitulo do Dia - 15/06/2013 - Levítico 10

A morte de Nadabe e Abiú

1 Nadabe e Abiú, filhos de Arão, pe­garam cada um o seu incensário, nos quais acen­deram fogo, acrescentaram incenso e trou­xeram fogo profano perante o Senhor, sem que tivessem sido autorizados.
2 Então saiu fogo da presença do Senhor e os consumiu. Morreram perante o Senhor.
3 Moisés então disse a Arão: "Foi isto que o Senhor disse: 'Aos que de mim se aproximam santo me mostrarei; à vista de todo o povo glorificado serei' ". Arão, porém, ficou em silêncio.
4 Então Moisés chamou Misael e Elzafã, filhos de Uziel, tio de Arão, e lhes disse: "Ve­nham cá; tirem os seus primos da frente do san­tuário e levem-nos para fora do acampamento".
5 Eles foram e os puxaram pelas túnicas, para fora do acampamento, conforme Moisés tinha ordenado.
6 Então Moisés disse a Arão e a seus filhos Eleazar e Itamar: "Não andem descabela­dos nem rasguem as roupas em sinal de luto, senão vocês mor­rerão e a ira do Senhor cairá sobre toda a comunidade. Mas os seus parentes, e toda a nação de Israel, poderão chorar por aqueles que o Senhor destruiu pelo fogo.
7 Não saiam da entrada da Tenda do Encontro, senão vocês mor­rerão, porquanto o óleo da unção do Senhor está sobre vocês". E eles fizeram con­forme Moisés tinha ordenado.
8 Depois o Senhor disse a Arão:
9 "Vo­cê e seus filhos não devem beber vinho nem outra bebida fermentada antes de entrar na Tenda do Encontro, senão vocês morrerão. É um decreto perpétuo para as suas gerações.
10 Vocês têm que fazer separação entre o santo e o profano, entre o puro e o impuro,
11 e ensinar aos israelitas to­dos os decretos que o Senhor lhes deu por me­io de Moisés".
12 Então Moisés disse a Arão e aos seus filhos que ficaram vivos, Eleazar e Itamar: "Pe­guem a oferta de cereal que sobrou das ofertas dedicadas ao Senhor, preparadas no fogo, e tratem de comê-la sem fermento junto ao altar, pois é santíssima.
13 Comam-na em lugar sagrado, por­quanto é a porção que lhes cabe por decreto, a você e a seus filhos, das ofertas dedicadas ao Senhor, preparadas no fogo; pois assim me foi ordenado.
14 O peito ritualmente movido e a coxa ofertada, você, seus filhos e suas filhas poderão comer num lugar cerimonialmente puro; essa porção foi dada a você e a seus filhos como parte das ofertas de comunhão dos israelitas.
15 A coxa ofertada e o peito ritualmente movido de­vem ser trazidos com as porções de gordu­ra das ofertas preparadas no fogo, para serem movidos perante o Senhor como gesto ritual de apresentação. Essa será a porção por decreto perpétuo para você e seus descendentes, confor­me o Senhor tinha ordenado".
16 Quando Moisés procurou por toda parte o bode da oferta pelo pecado e soube que já fora queimado, irou-se contra Eleazar e Ita­mar, os filhos de Arão que ficaram vivos, e per­guntou:
17 "Por que vocês não comeram a carne da oferta pelo pecado no Lugar Santo? É santís­sima; foi dada para retirar a culpa da co­munidade e fazer propiciação por ela perante o Senhor.
18 Co­mo o sangue do animal não foi levado para dentro do Lugar Santo, vocês deviam tê-lo comido ali, conforme ordenei".
19 Arão respondeu a Moisés: "Hoje eles ofereceram o seu sacrifício pelo pecado e o seu holocausto perante o Senhor; mas e essas coisas que aconteceram comigo? Será que teria agradado ao Senhor se eu tivesse comido a oferta pelo pecado hoje?"
20 Essa explicação foi satisfatória para Moisés.

Capitulo do Dia - 15/06/2013 - Levítico 9

Os sacerdotes começam o seu ministério

1 Oito dias depois, Moisés convocou Arão, seus filhos e as autoridades de Israel.
2 E disse a Arão: "Traga um bezerro para a ofer­ta pelo pecado e um carneiro para o holocausto, ambos sem defeito, e apresente-os ao Senhor.
3 Depois diga aos israelitas: Tragam um bode para oferta pelo pecado; um bezerro e um cor­deiro, ambos de um ano de idade e sem defeito, para holocausto;
4 e um boi e um carneiro para oferta de comunhão, para os sacrificar perante o Senhor, com a oferta de cereal amassada com óleo; pois hoje o Senhor apare­cerá a vocês".
5 Levaram então tudo o que Moisés tinha de­terminado para a frente da Tenda do Encontro, e a comunidade inteira aproximou-se e ficou em pé perante o Senhor.
6 Disse-lhes Moisés: "Foi isso que o Senhor ordenou que façam, para que a glória do Senhor apareça a vocês".
7 Disse Moisés a Arão: "Venha até o altar e ofereça o seu sacrifício pelo pecado e o seu holocausto, e faça propiciação por você mesmo e pelo povo; ofereça o sacrifício pelo povo e faça propiciação por ele, conforme o Senhor ordenou".
8 Arão foi até o altar e ofereceu o bezerro como sacrifício pelo pecado por si mesmo.
9 Se­us filhos levaram-lhe o sangue, e ele molhou o dedo no sangue e o pôs nas pontas do altar; depois derramou o restante do sangue na base do altar,
10 onde queimou a gordura, os rins e o lóbulo do fígado da oferta pelo pecado, confor­me o Senhor tinha ordenado a Moisés;
11 a car­ne e o couro, porém, queimou fora do acampa­mento.
12 Depois sacrificou o holocausto. Seus filhos lhe entregaram o sangue, e ele o derra­mou nos lados do altar.
13 Entregaram-lhe, em seguida, o holocausto pedaço por pedaço, inclu­sive a cabeça, e ele os queimou no altar.
14 La­vou as vísceras e as pernas e as queimou em cima do holocausto sobre o altar.
15 Depois Arão apresentou a oferta pelo povo. Pegou o bode para a oferta pelo pecado do povo e o ofereceu como sacrifício pelo peca­do, como fizera com o primeiro.
16 Apresentou o holocausto e ofereceu-o conforme fora prescrito.
17 Também apresentou a oferta de cereal, pegou um punhado dela e a queimou no altar, além do holocausto da ma­nhã.
18 Matou o boi e o carneiro como sacrifí­cio de comunhão pelo povo. Seus filhos levaram-lhe o sangue, e ele o derramou nos lados do altar.
19 Mas as porções de gordura do boi e do carneiro, a cauda gorda, a gordura que cobre as vísceras, os rins e o lóbulo do fígado,
20 puseram em cima do peito; e Arão queimou essas porções no altar.
21 Em seguida, Arão moveu o peito e a coxa direita do animal perante o Senhor como gesto ritual de apresentação, conforme Moisés tinha ordenado.
22 Depois Arão ergueu as mãos em dire­ção ao povo e o abençoou. E, tendo oferecido o sacrifício pelo pecado, o holocausto e o sacrifí­cio de comunhão, desceu.
23 Assim Moisés e Arão entraram na Ten­da do Encontro. Quando saíram, abençoaram o povo; e a glória do Senhor apareceu a todos eles.
24 Saiu fogo da presença do Senhor e consumiu o holocausto e as porções de gordura sobre o altar. E, quando todo o povo viu isso, gritou de alegria e prostrou-se com o rosto em terra.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Capitulo do Dia - 14/06/2013 - Lucas 6

O Senhor do sábado

1 Certo sábado, enquanto Jesus passava pelas lavouras de cereal, seus discípulos começaram a colher e a debulhar espigas com as mãos, comendo os grãos.
2 Alguns fariseus perguntaram: "Por que vocês estão fazendo o que não é permitido no sábado?"
3 Jesus lhes respondeu: "Vocês nunca leram o que fez Davi quando ele e seus companheiros estavam com fome?
4 Ele entrou na casa de Deus e, tomando os pães da Presença, comeu o que apenas aos sacerdotes era permitido comer e os deu também aos seus companheiros".
5 E então lhes disse: "O Filho do homem é Senhor do sábado".
6 Noutro sábado, ele entrou na sinagoga e começou a ensinar; estava ali um homem cuja mão direita era atrofiada.
7 Os fariseus e os mestres da lei estavam procurando um motivo para acusar Jesus; por isso o observavam atentamente, para ver se ele iria curá-lo no sábado.
8 Mas Jesus sabia o que eles estavam pensando e disse ao homem da mão atrofiada: "Levante-se e venha para o meio". Ele se levantou e foi.
9 Jesus lhes disse: "Eu pergunto: O que é permitido fazer no sábado: o bem ou o mal, salvar a vida ou destruí-la?"
10 Então, olhou para todos os que estavam à sua volta e disse ao homem: "Estenda a mão". Ele a estendeu, e ela foi restaurada.
11 Mas eles ficaram furiosos e começaram discutir entre si o que poderiam fazer contra Jesus.

Os doze apóstolos

12 Num daqueles dias, Jesus saiu para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus.
13 Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze deles, a quem também designou apóstolos:
14 Simão, a quem deu o nome de Pedro; seu irmão André; Tiago; João; Filipe; Bartolomeu;
15 Mateus; Tomé; Tiago, filho de Alfeu; Simão, chamado zelote;
16 Judas, filho de Tiago; e Judas Iscariotes, que veio a ser o traidor.

Bênçãos e avisos

17 Jesus desceu com eles e parou num lugar plano. Estavam ali muitos dos seus discípulos e uma imensa multidão procedente de toda a Judeia, de Jerusalém e do litoral de Tiro e de Sidom,
18 que vieram para ouvi-lo e serem curados de suas doenças. Os que eram perturbados por espíritos imundos ficaram curados,
19 e todos procuravam tocar nele, porque dele saía poder que curava todos.
20 Olhando para os seus discípulos, ele disse: "Bem-aventurados vocês os pobres, pois a vocês pertence o Reino de Deus.
21 Bem-aventurados vocês que agora têm fome, pois serão satisfeitos. Bem-aventurados vocês que agora choram, pois haverão de rir.
22 Bem-aventurados serão vocês quando os odiarem, expulsarem e insultarem, e eliminarem o nome de vocês, como sendo mau, por causa do Filho do homem.
23 "Regozijem-se nesse dia e saltem de alegria, porque grande é a sua recompensa no céu. Pois assim os antepassados deles trataram os profetas.
24 "Mas ai de vocês os ricos, pois já receberam sua consolação.
25 Ai de vocês que agora têm fartura, porque passarão fome. Ai de vocês que agora riem, pois haverão de se lamentar e chorar.
26 Ai de vocês quando todos falarem bem de vocês, pois assim os antepassados deles trataram os falsos profetas.

Amar os inimigos

27 "Mas eu digo a vocês que estão me ouvindo: Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam,
28 abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam.
29 Se alguém bater em você numa face, ofereça-lhe também a outra. Se alguém tirar de você a capa, não o impeça de tirar a túnica.
30 Dê a todo aquele que pedir, e se alguém tirar o que pertence a você, não lhe exija que o devolva.
31 Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles.
32 "Que mérito vocês terão se amarem aos que os amam? Até os pecadores amam aos que os amam.
33 E que mérito terão se fizerem o bem àqueles que são bons para com vocês? Até os pecadores agem assim.
34 E que mérito terão se emprestarem a pessoas de quem esperam devolução? Até os pecadores emprestam a pecadores, esperando receber devolução integral.
35 Amem, porém, os seus inimigos, façam-lhes o bem e emprestem a eles, sem esperar receber nada de volta. Então, a recompensa que terão será grande e vocês serão filhos do Altíssimo, porque ele é bondoso para com os ingratos e maus.
36 Sejam misericordiosos, assim como o Pai de vocês é misericordioso.

Julgando os outros

37 "Não julguem e vocês não serão julgados. Não condenem e não serão condenados. Perdoem e serão perdoados.
38 Deem e será dado a vocês: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem também será usada para medir vocês".
39 Jesus fez também a seguinte comparação: "Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois no buraco?
40 O discípulo não está acima do seu mestre, mas todo aquele que for bem preparado será como o seu mestre.
41 "Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?
42 Como você pode dizer ao seu irmão: 'Irmão, deixe-me tirar o cisco do seu olho', se você mesmo não consegue ver a viga que está em seu próprio olho? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.

Uma árvore e o seu fruto

43 "Nenhuma árvore boa dá fruto ruim, nenhuma árvore ruim dá fruto bom.
44 Toda árvore é reconhecida por seus frutos. Ninguém colhe figos de espinheiros, nem uvas de ervas daninhas.
45 O homem bom tira coisas boas do bom tesouro que está em seu coração, e o homem mau tira coisas más do mal que está em seu coração, porque a sua boca fala do que está cheio o coração.

Construtores sábios e tolos

46 "Por que vocês me chamam 'Senhor, Senhor' e não fazem o que eu digo?
47 Eu mostrarei com quem se compara aquele que vem a mim, ouve as minhas palavras e as pratica.
48 É como um homem que, ao construir uma casa, cavou fundo e colocou os alicerces na rocha. Quando veio a inundação, a torrente deu contra aquela casa, mas não a conseguiu abalar, porque estava bem construída.
49 Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as pratica é como um homem que construiu uma casa sobre o chão, sem alicerces. No momento em que a torrente deu contra aquela casa, ela caiu, e a sua destruição foi completa".